Henrique Dourado não peso da 9 de Fred: “Resposta é dentro do campo”

Henrique Dourado sabe que o 2016 deixou a desejar. E que precisa dar resposta na temporada que se inicia. Aliado a este contexto, o centroavante usará a camisa 9 – será o primeiro atleta a herdar o número do ídolo Fred. Peso? Não. Ele fala em honra. Ao projetar uma temporada melhor, baseado no fato de realizar a pré-temporada com os companheiros, o Ceifador evitar comentar críticas e as negociações que quase o fizeram mudar de clube. Promete dar a resposta dentro de campo.  

Bahia, Sport e Chapecoense demonstraram interesse no jogador, que usou a camisa 89 no ano passado. A direção Tricolor tentou contratar Barcos, sem sucesso. Henrique Dourado permaneceu e, desde então, recebeu apoio de Abel Braga. Será o titular nos confrontos iniciais da Primeira Liga e do Carioca.  

– Para mim, não chegou nada oficial. Falaram muito. Optei pelo silencio. Quando se joga em time grande, se tem muita cobrança. A resposta é dentro de campo. Com trabalho. O ano promete – disse, na manhã desta segunda-feira, após treino fechado à imprensa no CT Pedro Antonio Ribeiro da Silva.  

+++ Henrique Dourado recebe sondagens de três clubes. Relembre
+++ Com três gols de Dourado, Flu goleia o Serra Macaense em jogo-treino: 6 a 1
+++ Abel cita “fantasma de Fred” e dá confiança a Henrique Dourado

A conversa com os jornalistas foi logo após o clube divulgar a numeração do grupo. Dourado ficou com a 9.  

– Perguntaram para mim se queria vestir a 9, aceitei. É um desafio novo. Independentemente do número de camisa, quero saber do número de gols, de assistências, de roubadas de bolas e, acima de tudo, de vitória. É isso que fica marcado. Vestir a 9 é uma honra. Muitos jogadores importantes passaram por aqui. O que acontece muito… quando perde, obviamente, a cobrança é maior em um e outro. Nunca é no todo. Temos de assimilar. A cobrança vai existir pelo legado do Fred. O grupo precisa se blindar contra isso. Para não sofrer desestabilização contextualizou o jogador.  

Em 2016, marcou dois gols em 14 jogos. Chegou na metade do ano, vindo da temporada europeia. Após um começo bom, virou reserva na gestão de Levir Culpi. O exemplo do sucesso no Vitória de Guimaraes, de Portugal, o estimula. Na temporada 2015/2016, após um começo irregular, deslanchou e marcou 12 gols.  

– Acho que fiz dois gols lá (no primeiro semestre). Quando cheguei, o negócio já estava caminhando. Depois, com a parada, com a preparação, as coisas aconteceram. Acredito também que o grupo se conheceu. Quando o coletivo vai bem, o individual aparece.

Link da notícia original: Henrique Dourado não peso da 9 de Fred: “Resposta é dentro do campo”