Promessa é dívida: Marcos Jr. e Scarpa crescem após vaias e lideram reação tricolor


Em um sábado, vaias a cada toque na bola. Na semana seguinte, aplausos e reconhecimento dos torcedores. Criados em Xerém, Marcos Júnior e Gustavo Scarpa prometeram reação e cumpriram, liderando o Fluminense na virada sobre o Botafogo no estádio Nilton Santos.

O que faltava ao Tricolor era mais do que técnica: era força mental em um momento conturbado no clube. E o atacante, que alterna entre a titularidade e o banco de reservas, foi o primeiro a se pronunciar após a eliminação para o Flamengo na Sul-Americana. Garantiu que teria ‘cabeça de gelo’, entendeu as vaias e disse que usaria como motivação. O gol de empate com a perna esquerda e a entrega na marcação foram fundamentais para que o Fluminense acordasse no Brasileirão.

O camisa 10 também respondeu em campo. O discurso era outro: não se esconderia e, mesmo se errasse, continuaria tentando. Se na quarta-feira pouco fez, neste sábado voltou à boa forma. Além da assistência para o gol da virada de Matheus Alessandro, Scarpa chamou a responsabilidade e dominou o setor ofensivo do Fluminense.

Além dos três pontos na tabela, a virada contra o Botafogo tira um peso das costas da equipe. Muito se deve à postura de Marcos Júnior e Gustavo Scarpa, que cresceram após as vaias. Para o treinador, a distância para zona ainda incomoda, mas a promessa são de dias melhores.

– Ainda não saímos do sufoco mas recuperamos a confiança. Pode ter certeza disso – afirma Abelão.

Link da notícia original: Promessa é dívida: Marcos Jr. e Scarpa crescem após vaias e lideram reação tricolor