Melancolia e baixa perspectiva marcam o fim de ano do Fluminense


​Nem mesmo o mais pessimista dos torcedores do Fluminense imaginaria que após um primeiro semestre tão promissor, a equipe comandada pelo técnico Abel Braga terminaria a temporada brigando para não cair, correndo o risco inclusive de ficar fora da Copa Sul-Americana de 2018.

Com a derrota por 2 a 1 para o Sport no Maracanã, o Tricolor estacionou nos 46 pontos e ouviu vaias em protesto por parte da torcida nas arquibancadas. Muitos xingamentos foram direcionados ao presidente Pedro Abad e ao seu grupo político, a Flusócio. Jogadores como Gustavo Scarpa e Renato Chaves também não foram poupados. A atuação foi tão terrível que até mesmo Abelão deu razão à insatisfação dos torcedores:

“Quero pedir desculpa aos torcedores e às equipes que precisavam de um resultado nosso. Mantive o time titular para evitar qualquer suspeita. Não dá para acreditar que meu time jogou como jogou. Foi lamentável. Essa derrota mostrou o que foi 2017, um ano pesado. Mas a gente ganha mais conhecimento nos momentos ruins do que nos bons. Tivemos várias fases nesse Brasileiro e faltou sorte em alguns momentos. Temos que analisar bem essa competição”, resumiu o comandante.

Ao Flu agora só resta uma partida, contra o lanterna e já rebaixado Atlético-GO, em Goiânia, pela 38ª rodada do Brasileirão. O Tricolor ocupa atualmente a 14ª posição e não corre mais risco de rebaixamento.

Link da notícia original: Melancolia e baixa perspectiva marcam o fim de ano do Fluminense