6 jogadores que deveriam ter ficado 3x mais tempo no Brasil


O futebol brasileiro há muito tempo já se estabeleceu como um grande exportador de talentos, sobretudo para a Europa. Nas últimas décadas, tal número não só aumentou exponencialmente, como também se tornou cada vez mais precoce. Não são raras as joias que deixaram nosso país antes mesmo de se consolidar nas equipes que as revelaram. Aqui embaixo, listamos seis deles para relebrar suas trajetórias. Confiram!


Marcelo

Tido como uma joia desde sempre em Xerém, Marcelo saiu do Fluminense para o Real Madrid com apenas 18 anos. Estreou entre os profissionais em 2005, mas foi em 2006 que o lateral-esquerdo se firmou no Tricolor das Laranjeiras. Não demorou muito para ser negociado. Ao final daquela temporada, já jogador do gigante espanhol. Onde está até hoje, aliás…


Marquinhos

Protagonista de uma das vendas mais controversas da história do Corinthians, o zagueiro transferiu-se para a Roma por 3 milhões de euros em 2012, quando estava com 18 anos de idade. Uma temporada depois, foi para o PSG por 31 milhões de euros. Foram poucas as oportunidades que o atleta teve para mostrar seu futebol no Timão, então campeão da Libertadores e do Mundial.


Vinícius Júnior

História mais recente da lista, Vinícius Júnior tinha fama de grande jogador desde as divisões de base no Rubro-Negro e nas categorias inferiores da Seleção Brasileira. Estreou pelo Flamengo, entre os profissionais, aos 16 anos, em meados de 2017. Poucos meses depois, foi vendido por 45 milhões de euros ao Real Madrid. Deixou o clube carioca em julho.


Paulinho

Outro caso bem recente envolvendo um clube carioca, Paulinho é também uma das esperanças para a Copa de 2022. Surgiu entre os profissionais do Vasco no final de 2017 e foi um dos destaques do time na campanha que culminou com uma vaga na Libertadores de 2018. Machucou-se no primeiro semestre deste ano e, aos 17, foi negociado com o Bayer Leverkusen.


Roberto Firmino

Um dos casos de ascensão que parece meteórica, mas com percurso repleto de idas e vindas até que despontasse no futebol. Roberto Firmino foi da base do CRB, fez testes (e foi reprovado) no São Paulo, transferiu-se para o Figueirense ainda na base e, após menos de um ano como profissional, aos 19, foi negociado com o Hoffenheim, da Alemanha. Jogou apenas a Série B no Brasil e por isso era pouco conhecido do público até despontar de vez na Europa e na Seleção.


Philippe Coutinho

Mais um ex-vascaíno na lista, Coutinho teve sua trajetória encurtada em São Januário devido a uma venda considerada precoce por muitos torcedores do clube. Por 3,8 milhões de euros (cerca de R$ 10 milhões na época), o meia, então com 16 anos, foi vendido para a Inter de Milão antes mesmo de estrear entre os profissionais. Só partiu para a Itália em 2010, após jogar menos de um ano no elenco principal do Vasco. Fez apenas três gols atuando no Brasil antes de viajar.

Link da notícia original: 6 jogadores que deveriam ter ficado 3x mais tempo no Brasil