Três nomes e nenhuma vaga? Flu vê disputa forte por posto de “12º jogador”


​Em meio a um ​elenco não muito farto em opções, não é que Abel Braga vê três nomes disputando a posição de “12º jogador” do Fluminense? Sim, se Robinho, Matheus Alessandro e Pablo Dyego não são titulares da equipe carioca, ao mesmo têm se mostrado dispostos a colaborar quando chamados. E isso vem agradando o treinador.

Todos eles sabem que, a princípio, Pedro e Marcos Júnior formam a dupla de ataque titular do Tricolor. O primeiro herdou a posição de Henrique Dourado e não se cansa de fazer gols, enquanto seu parceiro ganhou um voto de confiança depois de terminar 2017 em alta. No início da temporada, Robinho se tornou alternativa natural de Abelão para mudar as partidas, com a torcida inclusive pedindo que ele fosse improvisado no meio-campo na vaga de Sornoza. Correndo por fora, Pablo, que até então estava bem atrás na preferência, conquistou seu espaço e teve seu principal momento diante do Nacional Potosí, da Bolívia, na estreia carioca na Sul-Americana (marcou um gol, quase fez outro de bicicleta e ainda provocou a expulsão de um adversário). Frente ao Corinthians, na primeira rodada do Brasileirão, chegou a ser titular.

Porém, Matheus Alessandro, surpreendentemente, foi o primeiro a entrar no último domingo, quando a equipe arrancou um empate diante do São Paulo nos minutos finais – coincidência ou não, os três reservas estavam em campo no momento da decisiva pressão, e partiu de Robinho o cruzamento para Pedro escorar de cabeça. “Nas duas últimas semanas, ganhei dois jogadores que estavam em baixa: o Matheus e o Robinho. A primeira entrada vinha sendo o Pablo. Eu vi que nos treinos os outros estavam passando. E eu não quero saber. Passou, vai jogar”, destacou Abel. No domingo, frente ao Vitória, é provável que algum deles inicie jogando, já que existe a possibilidade de preservação de titulares para o duelo da volta frente aos bolivianos.

De torcedor para torcedor: ​clique aqui e siga o 90min no Instagram!

​​

Link da notícia original: Três nomes e nenhuma vaga? Flu vê disputa forte por posto de “12º jogador”