Pivô de briga, ex-goleiro relembra origem da rivalidade entre Furacão e Flu


Em 1996, Fluminense e Atlético-PR, rivais deste domingo (20), viviam momentos completamente distintos. Enquanto os paranaenses faziam um Brasileiro primoroso, o Tricolor Carioca sofria com a ameaça real do rebaixamento. 

À época, todos os holofotes estavam sobre Ricardo Pinto, goleiro do Furacão. Com longa trajetória no Flu, o camisa 1 ouviu, durante todo o confronto, as provocações de tricolores que lotavam o Estádio das LaranjeirasApós o apito final, Ricardo comemorou efusivamente a vitória paranaense por 3 a 2, gesto que gerou confusão generalizada, invasão de gramado e pancadaria. Agredido, o goleiro foi hospitalizado e ficou entre a vida e a morte.

Nunca me preocupei em procurar culpados. Se o cara que veio por trás e me deu a paulada tivesse vindo pela frente, teria sido diferente. Nunca mais pus os pés nas Laranjeiras. (…) Mas não sinto falta, apesar de ter passado uma grande parte da minha vida lá”, contou Ricardo, em entrevista ao ​UOL Esportes

A barbárie ficou marcada como a origem da rivalidade entre Atlético e Fluminense, que dura até os dias atuais. O Maracanã será o palco, às 19h, de mais um duelo entre os ‘novos desafetos’, e a expectativa é um de um grande jogo, com faíscas, mas sem violência!

​​

Link da notícia original: Pivô de briga, ex-goleiro relembra origem da rivalidade entre Furacão e Flu