Dirigentes explicam Flu-Samorin e conselheiros pedem acesso a contrato


​O ​polêmico projeto do Fluminense na Eslováquia, o Flu-Samorin, foi o assunto principal de uma reunião do Conselho Deliberativo que aconteceu no clube na última terça-feira. De acordo com o ​globoesporte.com, o presidente Pedro Abad e o gerente esportivo da base, Marcelo Teixeira, estiveram no encontro para prestar esclarecimentos aos conselheiros.

Na reunião, que durou pouco mais de três horas, os membros do Conselho do Flu pediram acesso ao contrato do clube com o Samorin, que atualmente disputa a segunda divisão eslovaca. A solicitação será analisada no próximo encontro do grupo.

Entre diversos pontos levantados por Abad e Teixeira, os dirigentes do Flu explicaram aos conselheiros que o projeto tem um custo anual de 756 mil euros (R$ 3,1 milhões) ao clube, levando em consideração salários, viagens, moradia, alimentação, etc. 

O negócio segue um modelo de “arrendamento” da gestão do time eslovaco por 10 anos por um montante de 500 mil euros (R$ 2,1 milhões). O Tricolor pode deixar a parceria a qualquer momento, assim como também pode adquirir 66,7% do Samorin.

(Foto de capa: Nelson Perez/Fluminense FC)

​​

Link da notícia original: Dirigentes explicam Flu-Samorin e conselheiros pedem acesso a contrato