Fluminense encara Boca Juniors e a pressão de La Bombonera


Depois de estrear na Copa Libertadores vencendo o Arsenal no Rio de Janeiro por 1 a 0, o Fluminense terá pela frente nesta quarta-feira um outro adversário argentino, dessa vez, porém, bem mais tradicional. Trata-se do Boca Juniors, que recebe o Tricolor às 22h (de Brasília) em La Bombonera, em Buenos Aires, capital argentina. Os brasileiros somam três pontos e, em caso de empate, ficarão isolados na liderança. Já o Boca precisa recuperar os pontos perdidos na estreia, quando não passou de um empate sem gols diante do Zamora, na Venezuela.

Em 2008 as duas equipes se enfrentaram pelas semifinais da Copa Libertadores. Naquela ocasião La Bombonera estava passando por reformas e o Tricolor não preciso passar pela pressão de atuar no estádio do Boca Juniors. O empate por 2 a 2 na Argentina serviu e o Tricolor garantiu a classificação no Maracanã, ganhando por 3 a 1.

Apesar de jogar em La Bombonera, Abel Braga, técnico do Fluminense, garantiu que sua equipe não vai deixar de se impor ou se intimidar por conta da pressão da torcida.

“Não vamos nos intimidar ou nos encolher pelo fato de jogarmos em La Bombonera, pois se isso acontecer estaremos contribuindo para sairmos de lá com um mau resultado. Precisamos buscar o ataque a vitória. Respeitamos o Boca Juniors, mas sabemos que temos potencial para buscarmos os três pontos”, disse Abel Braga.

Os jogadores do Fluminense também estão corajosos no discurso, deixando claro que viajaram para a Argentina com o pensamento de ganhar o encontro.

“Nós vamos em busca de uma vitória, apesar de sabermos da qualidade do Boca Juniors. Em 2008 o nosso adversário foi eliminado e hoje sabe que vai enfrentar um adversário que é forte dentro e fora do Rio de Janeiro. Eles nos respeitarão mais, o que tornará o confronto bem mais complicado. Por isso mesmo temos que ser corajosos na luta pelos três pontos”, analisou Thiago Neves.

O time do Fluminense está definido para esta partida. O zagueiro Leandro Euzébio e o meia Wagner, expulsos na estreia diante do Arsenal, cumprem suspensão. Digão entra na zaga ao lado de Anderson. Já Wagner já tinha perdido a posição no Campeonato Carioca para Thiago Neves, que forma um forte setor de criação com o brasileiro naturalizado português Deco. O volante Edinho foi barrado para a entrada do colombiano Edwin Valencia.

Pelo lado do Boca Juniors, o técnico Julio Cesar Falcioni deixou claro que espera a conquista da vitória, único resultado aceitável na visão do treinador.

“Nós não conseguimos vencer na estreia e agora temos que fazer em casa o que se espera do Boca Juniors. Na nossa conta os três confrontos em La Bombonera levam a vitória como único resultado aceitável. Respeitamos o Fluminense, mas temos a nossa meta a cumprir nesta etapa da Copa Libertadores”, afirmou Falcioni.

Sobre o time, o atacante Darío Cvitanich, com dores musculares na coxa direita, foi vetado e será desfalque. Assim, Pablo Mouche será o companheiro de ataque de Santiago Silva. Outra má notícia é que o zagueiro Rolando Schiavi, que era dúvida por conta de uma lesão no pé esquerdo, foi descartado para este duelo. Assim, Matías Caruzzo vai compor o setor de zaga com Juan Insaurralde.

FICHA TÉCNICA
BOCA JUNIORS-ARG X FLUMINENSE-BRA

Local: La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina)
Data: 7 de março de 2012 (Quarta-feira)
Horário: 22h(de Brasília)
Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai)
Assistentes: Carlos Cáceres (Paraguai) e César Franco (Paraguai)

BOCA JUNIORS: Agustín Orión, Clemente Rodríguez, Juan Insaurralde, Matías Caruzzo e Facundo Roncaglia; Diego Rivero, Leandro Somoza, Walter Erviti e Juan Riquelme; Pablo Mouche e Santiago Silva
Técnico: Julio Cesar Falcioni

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Bruno, Digão, Anderson e Carlinhos; Edwin Valencia, Diguinho, Deco e Thiago Neves; Wellington Nem e Fred
Técnico: Abel Braga

Link original: Fluminense encara Boca Juniors e a pressão de La Bombonera