Com goleada, Flu dobra números de 2018 e deixa rival em posição ruim


​Goleada de 5 a 0 e “passagem de bastão” para um rival. Sim, com a classificação à terceira fase da Copa do Brasil, o Fluminense se livrou, ao menos momentaneamente, de um rótulo negativo. Após a vitória sobre o Salgueiro, o Tricolor deixou de ser o pior ataque de 2018 dentre os chamados 12 grandes. E, se vale como zoação, empurrou o Botafogo para este posto.

Nos seis jogos anteriores ao duelo do meio da semana, a equipe havia balançado a rede em apenas cinco oportunidades. Ou seja, bastou apenas encontrar os pernambucanos para dobrar este número – o Fogão, por sua vez, tem apenas sete gols. Desde o início da temporada, o técnico Abel Braga perdeu nomes importantes do setor ofensivo, como Henrique Dourado e Wellington Silva. Como homem de referência na frente, tem apenas os jovens Pedro e Peu como alternativas. Enquanto isso, Marcos Júnior vem atuando pelo lado, embora se aposte muito na ascensão definitiva de Romarinho.

Mesmo em momento de adaptação a um novo esquema implantado, com três zagueiros, o treinador já vê evolução no time. No chamado 3-5-2, é natural que os chamados alas apareçam mais à frente, como foi o caso de ​Gilberto, que marcou dois gols no meio da semana. “Estamos com bom entrosamento entre os zagueiros de lado e os laterais. Com isso, é natural que os zagueiros virem laterais e os laterais avancem como pontas”, disse Abel. Até o dia 21, data da estreia do clube na Taça Rio contra o Bangu, ainda há tempo para um aprimoramento mais intenso.

Link da notícia original: Com goleada, Flu dobra números de 2018 e deixa rival em posição ruim